Cansada de figuras masculinas como mestres

Uma ferida que não tem tempo para se curar de verdade. Basta se conectar com as notícias diárias que você terá acesso como as mulheres têm sua segurança ruidas por figuras masculinas que há muito aprenderam que seu desejo sexual está acima de qualquer coisa.

Feridas que podem começar bem cedo em nossas vidas por quem deveria nos proteger.


Estou na área de Mindfulness há 8 anos e essa é a segunda vez que o comportamento de um professor impacta profundamente a minha prática pessoal.


Curiosa de como a mente funciona há tempo percebo um movimento de construir castelos em outras pessoas, quem sabe algo tão humano, castelo fadados ao desmoronamento. Algo natural porque não há perfeição no que chamamos de comportamento humano.

Ainda sim, a ferida ligada ao desejo sexual masculino parece que encontra outro espaço, não o tal castelo. Quem sabe encontre os sofrimentos que minha mãe, avôs, bisavôs e tataravôs vivenciaram em nome desse desejo sexual masculino.


As palavras me ajudam abrir espaço para essa ferida recém-aberta. As palavras me ajudam a acolher que a cada vez que me sento para a prática de meditação me dou conta da profundida do machucado. As palavras me ajudam a reconhecer o silêncio cruel em torno de tudo isso, e uma vida que parece que segue como trator.


Me lembro das palavras de uma grande amiga “Não acredito em condenação eterna”, isso faz sentido aqui não acredito em condenação eterna, no entanto, se você lê esse texto e se identifica como homem poderia ler o trecho seguinte com bastante atenção:

“A ferida do desejo sexual dos que vieram antes de vocês deixaram marcas profundas em nossos corpos e cabe a todas nós curar e a vocês uma retratação real, nunca se tratará de apenas um episódio”

A diferença dessa vez em que minha confiança foi ruida é que não demorou anos para que eu pudesse olhar para isso, a diferença é que sei que meu refúgio não é uma pessoa. A diferença é que estou abrindo espaço para olhar com curiosidade para essa ferida, expor ao sol, compreender suas ligações.


Ao fazer isso notei um GRANDE e PROFUNDO cansaço de figuras masculinas como mestres, nós mulheres somos maioria no campo da espiritualidade, yoga, meditação, mindfulness e mindful eating e ainda sim criamos palco e mais do que isso mantemos esses palcos mesmo que outras mulheres tenham sido colocadas em risco. A intenção dessas palavras não é que você se sinta culpada e sim reconheça sua potencialidade em criar junto de outras mulheres lugares de maior respeito para que possamos trabalhar na nossa espiritualidade, para que a intenção firme de conhecer nossa mente-corpo-coração tenham uma terra propicia para brotar e crescer e não ficar nos protegendo do desejo sexual masculino. Se você que me lê está engajada no seu florescer, sabe com isso dá trabalho.


Por palavras que tenham a intenção de quebrar silêncios, por palavras que tem a intenção de curar.


Do meu coração que está cansado de mestre centrados em figuras masculinas para o seu.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo