top of page

Como se interessar pelos resíduos do nosso prato transforma a relação com a comida?

Atualizado: 29 de mai. de 2023

Enquanto caminho 50 minutos para levar o lixo, ou como chamarei aqui - resíduo, esse texto já ganha palavras dentro de mim.


Comer consciente vai muito além de descanse os talhares enquanto come e estende à perguntas cruciais - “O que acontece com o resíduos do nosso prato?”


E as estratégias que aprendemos e perduram até hoje é “Limpe o prato” como única forma de reduzir resíduos, em outras palavras, coloque tudo para dentro, nem preciso dizer que se você faz parte do time limpa o prato a culpa é bem presente quando sobra aquele “restinho”, certo?


Enquanto compartilho a minha investigação com os resíduos, convido você sem julgamento visitar a sua.


Em Ribeirão Preto (SP), eu separa o lixo reciclável e o coloca limpo e seco para a coleta, depois de tempos descobri que 90% do lixo reciclável ia direto para o lixo comum, a história não acaba quando fechamos o saco.


Ainda assim, a lixeira ou ficava na frente da casa que eu morava ou no térreo do prédio. Também não me lembro da minha mãe caminhar para levar os resíduos de casa quando eu era adolescente, percebam “minha mãe” e é assim que 70% do trabalho não remunerado é feito por mulheres. E mesmo pensando muito sobre isso e falando da divisão de trabalho de casa, fui eu que essa manhã caminhei até a local da coleta.


Viver com uma andarilha pelo Brasil tem me feito descolar da realidade de viver em São Paulo, ou ainda dos lugares que vivi em São Paulo. Morando em Ribeirão Preto eu estava familiarizada com entregas em menos de 24 horas, sentar-se em uma mesa de restaurante e esperar que alguém viesse anotar o pedido, ter acesso a mercado, oficinas, hospitais 24 horas dirigindo pouco km.


E isso combina bastante como uma sociedade em que tempo é dinheiro, imagine dedicar esses 50 minutos para caminhar carregando um saco de resíduo. A experiência continuou se intensificando no estado de Goiás, em que um dos lugares que ficamos já tinham 3 espaços para resíduos: orgânico, reciclável e rejeitos “que era tudo aquilo que não se reciclava e também não era orgânico”. Do lado dessa casa havia uma composteira, algo que sempre achei ter um nível de complexidade enorme e basicamente a senhora me explicou "despeje seu resíduo orgânico e cubra com terra e folhas e pronto". Agora na Bahia pergunto ao host sobre os resíduos e ele diz “Quer que eu abra uma composteira para você?” respondo “Sim, claro”.


Como uma pessoa que tinha nojinho da comida que sobra na pia depois de lavar a louça, lidar com o resíduo orgânico é muito interessante, perceber o potencial de putrefação e vida que tem ali. E me convida a uma linguagem mais condicional, pode ser que a coleta de resíduo passe na porta, pode ser que você caminhe 1 hora para encontrá-la.


O que essas experiências têm me convidado é assumir mais a responsabilidade pelos resíduos.


Será que pensaríamos na quantidade que estamos produzindo se tivéssemos que carregar com as nossas próprias mãos em uma distância considerável?

Ou ainda: O que pensar sobre os resíduos impacta na relação com a comida?


Será que ir mais a feiras livres, comprar mais alimento sem veneno é uma forma de oferecer a terra resíduos orgânicos mais nutritivos? Uma forma de desenvolver a natureza o carinho de nos alimentar com tanta abundância?


Falar dos nossos resíduos tem tudo a ver com a relação com comida, por isso reduzir o comer consciente “sinta sua fome” é um desperdício de potencial.

E um ponto central enquanto nos despedimos nesse texto, essa reflexão pede que falemos com carinho conosco, caso contrário, seus resíduos vão ser mais uma coisa na lista enorme da qual você se culpa e sente frustrada.


O convite pode ser algo nesse sentido:

  1. Se interesse por seus resíduos

  2. Descubra se na sua cidade tem coleta de lixo orgânico para composteiras

  3. Fique curiosa se na compra você pode escolher alimentos e lugares que produzem menos resíduos (Por exemplo será que uma padaria você pode pedir por saco de pão, ao invés de isopor e plástico)

  4. Visite uma composteira

  5. Descubra na sua cidade para onde vão os resíduos. E qual é a capacidade de coleta de recicláveis?

  6. Quem sabe você pode pensar caso menstrue, mais sobre coletores e absorvente reutilizáveis

  7. Se você tem cachorros e utiliza fraldas descartáveis para o xixi, pode até dar uma checada em fraldas laváveis

  8. E quem sabe faça dessa investigação algo curioso e amoroso para você, amigos e família

  9. Seguem alguns perfis do instagram para você se inspirar - https://www.instagram.com/compostatrailer/ https://www.instagram.com/plantafelizadubo/

Com muito carinho, da sua nutricionista antidieta - Driele Quinhoneiro

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Bình luận


bottom of page