• Driele Quinhoneiro

Nossa capacidade para comer saudável depende da nossa habilidade para sentir o corpo

Como é que ficamos tão boas em pensar e tão afastadas das sensações do corpo?


Muitas, muitas e muitas vezes no consultório quando vamos investigar o que a pessoa sentiu no corpo dá tela azul.


E olha só o buraco que surge: Nossa capacidade para comer saudável depende da nossa habilidade para sentir o corpo

E nunca estivemos tão longe disso com os nossos papelzinhos prontos sobre o que comer, quanto comer e que horas comer. Assim corremos e corremos em direção a um muro. E damos de frente com ele quando vem os queridos e odiados SENTIMENTOS. Aquele papelzinho das dietas aqui perder qualquer utilidade, nos deixa na mão.


  • O que eu faço com esse buraco no estômago que não é de comida?

  • O que eu faço com esse dia desafiador?

  • O que eu faço com essa sensação de estar brigando com tudo?

  • O que eu faço com essa sensação de me sentir ameaçada o tempo todo?

  • O que eu faço com essa sensação de odiar meu próprio corpo?


Enquanto nossa cabeça é invadida por esses pensamentos, e nosso corpo registra tudo aquilo em sensação física, nos perdemos. Voltamos para cabeça para controlar ou para nos rebelar de vocês.


“Você sabe que não é fome física, controle-se”
“Quer saber de uma coisa? Dane-se vou comer tudo o que eu quiser”

Nunca estivemos tão perdidas de habilidades duradoras, nunca tivemos tão separadas. Nunca estivemos tão distantes de uma voz amorosa que é incondicional.


É a sensação no centro do peito que nos relembra, são as sensações do corpo que vem ao nosso encontro, não como um milagre, e sim como um porto seguro. Nos rendemos em sentir o corpo, em abri espaço para isso.


“Confie em mim essa sensações nos diz, não sou tão volátil quanto os pensamentos”.

Nessa sensação do centro do peito podemos confiar, nos relembramos que o amor não faz distinção. Permeamos todas as nossas células com esse carinho. Suspiramos e soltamos as tensões, eu não preciso fazer nada para ser amada.


Essa sensação de acolhimento nos traz para nossas tripas, para o nosso corpo. E voltando para esse lugar você estará mais no caminho de habilidade duradouras do comer e com mais clareza para aprender o que afinal de contas significa comer saudável.


Tchau papelzinho, foi tarde!

Olá corpo, senti saudades!


Com carinho, Driele.


_____________________________________________________________________

Inscrições para a 3ª Turma do Destravando o Comer Consciente - desenvolva habilidades duradouras para comer sem sofrimento em 4 encontros ONLINE com práticas inéditas e que cabem no seu dia a dia. Mais informações clicando aqui!



26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo